fbpx

CEAP – Centro Educacional Assistencial Profissionalizante

O que é comunicação não violenta? Tudo o que você precisa saber!

A comunicação não violenta é essencial para qualquer momento da vida. Afinal, estamos falando de ter um relacionamento mais saudável com as pessoas. Sabemos que tudo começa com um bate-papo, fato. Então que tal começar sua próxima conversa com o pé direito sob um novo ponto de vista? Antes de mais nada, o termo pode ser comparado como um breve processo de construção. Em especial, ele edifica uma conexão consciente por meio da empatia e da compaixão.

Origem da comunicação não violenta

Jovem conversando abertamente com seu professor.

Retratado pelo americano Marshall Rosenberg (1934-2015), psicólogo e autor do livro Comunicação-não-violenta (CNV), publicado pela primeira vez em 1960, apresenta que através das habilidades inspiradas nas ações de grandes líderes, tais como Martin Luther King e Gandhi, qualquer um pode se tornar mais assertivo suas palavras. Em conclusão, usar da postura não violenta para provar resistência e respeito é bem efetivo.

Com base nas habilidades de linguagem e comunicação, o conceito ajuda a redefinir a forma como todos se expressam e ouvem os outros. Os pesquisadores propõem que, por meio da CNV, ao observar comportamentos e fatores influentes, as respostas aos estímulos de comunicação não são mais automáticas e repetitivas, mas se tornam mais conscientes e baseadas em percepções do momento. Como argumenta Marshall, por meio da escuta ativa e profunda, o método torna a interação mais afeituosa, atenta e compassiva à medida que ela acontece.

Desde sempre, a comunicação é vital para a saúde emocional e o bem-estar de todos. Entretanto, algumas pessoas não sabem ter boas conversas, nem mesmo com os próprios filhos. Logo seus relacionamentos são problemáticos e diversas vezes distanciados. No entanto, se o amor entre as famílias permanecer, esse impasse será superado? Aí que entra o grande CNV para mostrar que não basta usar palavras generosas uma vez e em seguida violentar verbalmente.

Como estabelecer uma boa comunicação

Jovens abraçados praticando a comunicação não violenta.

Qual é a melhor maneira de evitar uma péssima discussão? Não falar nada de prejudicial e ineficaz ao outro, talvez? Sim, em partes. Até porque essa é apenas a ponta do Ice Berg. Pode se resumir que para uma boa comunicação é necessário:

  • Não julgar os outros
  • Não culpar os outros
  • Observar, não criticar.
  • Revelar sentimentos, não opiniões
  • Comunicar necessidades, não críticas
  • Fazer solicitações, não demandas
  • Ter empatia em primeiro lugar!

À vista disso, acreditando que a educação começa dentro de casa, o CEAP ao longo do curso de Formação de Pais instrui as famílias de seus jovens a se dedicarem ao crescimento virtuoso de seus filhos. Para isso, utilizando como meio a Comunicação Não Verbal em sua grade de influência, a instituição potencializa o desenvolvimento interpessoal de cada um.